Pesquise neste Blog

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Conquista do Pão Kropotkine Anarquismo Libertário Filosofia




A Conquista do Pão
Pedro Kropotkine
Simões
1953

Livro em bom estado de conservação, encadernado em capa dura em couro e papel fantasia, encadernação de época, manteve-se a capa brochura original.

Importante obra do pensamento libertário, escassa, não perca essa oportunidade. Tradutor Cesar Falcão.

História. Sociologia. Filosofia Política. Evolução da humanidade. Ensaios e estudos.
Marxismo. Socialismo. A Conquista do Pão. A Riqueza. O bem-estar para todos. Os produtos. A habitação. O vestuário. As vias e os meios. O luxo. O trabalho. A liberdade de entendimento. Salários. Consumo e produção. Divisão do trabalho. Agricultura.

Filósofo russo e escritor, descendente da nobreza que renuncia a favor da militância anarquista. Foi geógrafo e registrou cartograficamente grande parte da Sibéria. Filiou-se em 1872 a AIT, ficando na ala libertária da Internacional. Sua teorias influenciaram e influenciam gerações de libertários (leia a Conquista do Pão, de sua autoria). Na Revolução Russa, esteve na linha de frente e morreu defendendo a liberdade do movimento obreiro e a continuação da revolução que o Partido Comunista e o Estado soviético tirou e parou.

Todas as máquinas têm a mesma história de noites em claro e de miséria, de desilusões e de alegrias; melhoramentos parciais achados por diversas legiões de obreiros desconhecidos que vinham acrescentar ao invento primitivo esses pequenos nadas, sem os quais a idéia mais fecunda fica estéril.

Cada descoberta, cada progresso, cada aumento da riqueza da humanidade tem o seu princípio no conjunto do trabalho manual e cerebral do passado e do presente.

Logo, com que direito poderia alguém apossar da menor parcela desse imenso patrimônio e dizer: isto é meu, não é vosso?

“O que se pode dizer dos inventores em geral é o que se tem dito dos sábios. Quem não sabe que preço de sofrimentos custaram as grandes invenções!

Noites em claro, privações de pão para a família, falta de utensílios e de matérias-primas para as experiências, é a história de todos os que têm dotado a indústria com o que faz o orgulho, o único justo, da nossa civilização.


"Toda a sociedade que tiver rompido com a propriedade privada é obrigada, quanto a nós, a organizar-se em comunismo-anarquista. A anarquia conduz ao comunismo, assim como o comunismo leva à anarquia, sendo ambos a expressão da tendência das sociedades modernas para a procura da igualdade. Houve um tempo em que uma família de camponeses podia considerar o trigo que fazia brotar e os vestidos de lã tecidos no lar como produtos do seu próprio trabalho. Mesmo então esta maneira de ver não era assaz correta. Havia estradas e pontes feitas em comum, pântanos dessecados por um trabalho coletivo, tapumes de sebes que todos conservavam. Um melhoramento nos teares ou na maneira de tingir os tecidos aproveitava a todos nessa época; uma família de camponeses não podia viver senão com a condição de achar apoio, em mil ocasiões na aldeia, na comuna. Mas hoje, neste estado da indústria, em que tudo se entrelaça e se sustenta, em que cada ramo da produção se serve de todos os outros, a pretensão de dar origem individual aos produtos é insustentável. Se as indústrias têxteis ou a metalurgia atingiram uma estupenda perfeição nos países civilizados, devem-no ao desenvolvimento simultâneo de mil outras indústrias grandes e pequenas; à extensão da rede férrea, à navegação transatlântica, à destreza de milhões de trabalhadores, a um certo grau de cultura geral de toda a classe obreira, enfim, a trabalhos executados de um extremo ao outro do mundo. Como querer avaliar a parte que cabe a cada um nas riquezas que todos ajudamos a acumular?"



--------------------
Pedro Kropotkine -
Cronologia

1842 - Nascimento de Kropotkine, em Moscou, filho de um general do czar;

1850 -Kropotkine ingressa no Corpo de Pajens, escola militar de elite na Rússia czarista;

1857 -Ingressa na Academia Militar de São Petersburgo;

1862 -Encerra sua função como pajem pessoal do novo czar, Alexandre II;

1866 -Inicia exploração geográfica às margens do rio Amur;

1867 -Abandona a carreira militar regressando a São Petersburgo para completar seus estudos científicos na universidade;

1868 -Continua sua explorações geográficas e geocologicas. Eleito membro e secretário da Academia Geográfica Russa;

1872 -Viagem à Suíça e contato com a seção bakuninista da Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT);

1874 -Regresso à Rússia militando no Circulo Revolucionário (narodniki) populista de Chaikovski. Preso e encarcerado na Fortaleza de São Petersburgo;

1876 -Doente é hospitalizado no Hospital Militar da cidade. Escapa do hospital onde se encontrava. Em agosto chega à Inglaterra.

1877 -Assiste ao Congresso Libertário de Verviers. Vai a Suíça, tornando-se a figura mais destacada da Federação do Jura, cujo Boletim se tornara o centro ideológico do socialismo libertário;

1879 -Kropotkine funda em Genebra o jornal libertário La Revolte. Assiste em Londres o Congresso da Internacional Negra e é expulso da França;

1883 -Preso e julgado em Lyon por suas atividades revolucionárias;

1886 -Intala-se na Inglaterra;

1887 -Publica um opúsculo intitulado 'Nas Prisões Francesas e Russas';

1892 -Publica A conquista do pão;

1898 -Publica Memórias de Um Revolucionário;

1899 -Publica Campos, Fábricas e Oficinas;

1903 -Publica o texto O Estado;

1909 -Publica A historia da Grande Revolução Francesa;

1913 -Publica A Ciência Moderna e o Anarquismo;

1917 -Kropotkine chega a Petrogrado. Recusa cargo ministerial oferecido por Kerensky;

1918 -Kropotkine funda a Liga Federalista. Encontra-se com Nestor Makhno, dirigente da revolução autogestionária camponesa na Ucrânia em 1918/21. Encontro com Lênin;

1920 -Carta criticando Lenin. Carta de Kropotkine é dirigida aos operários do Ocidente.

1821 -A 7 de janeiro é hospitalizado e a 8 de janeiro falecia. Foi autorizada a saída dos milhares de anarquistas presos e uma grande manifestação anarquista marcou o seu enterro. A Tcheca (polícia secreta que originou a KGB) fiscalizou as manifestações.


Temos um vasto acervo sobre essa bibliografia temática.


philolibrorum@yahoo.com.br


Esta Página visa contribuir, com a localização de livros escassos, aos estudiosos das diversas ciências e áreas de estudo ou mesmo hobbies. Sobretudo as publicações já fora de comércio, antigas, esgotadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário