Pesquise neste Blog

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Jose Rangel Como o tempo passa A encadernadora S. A.

Jose Rangel

Como o tempo passa

A encadernadora S. A.



Comentário: Livro em bom estado de conservação, encadernado em brochura original. Com 302 Paginas, coda6-x3, escasso, não perca, saiba mais..

Livro intenso de emoção e repleto de informação históricamente relevante para o estudo educação no Brasil. 

O autor saudosista foi um empenhado educador mineiro, dirigiu a escola Normal de Juiz de Fora, é précursor da famosa reforma educacional João Pinheiroeiro.

No decorrer de 1894, um prédio térreo e acaçapado, que fora o antigo mercado da cidade, à rua da Imperatriz, ao lado do Jardim Municipal, inaugurou-se a Escola Normal, criada no Governo Afonso Pena”. Seu corpo docente era constituído pelos professores: Leônidas Detsi, Luiz Detsi, Antônio Carlos, José Rangel, Arthur Gosling, Henrique Gusmão, Homero Campista, Antônio da Cunha Figueiredo, Francisco Pinheiro, Luciano Brasileiro, Alexandrina de Santa Cecília, Adelina de Santa Cecília e João José Alves; mais tarde fizeram também parte, Eloy de Araújo, Francisco Paixão, Raymundo Tavares, Júlio Penna, Bernardo do Aroeira, Albertina Leal Francisco Alvares, Maria José Penna e José Paixão. Foram seus diretores: Leonidas Detsi, Antônio Carlos, Eloy Araújo e José Rangel.


No dia 05 de Janeiro de 1904, José Rangel foi nomeado para o cargo de diretor da Escola Normal. Uma das preocupações de Rangel era mudar a escola da esquina da Av. Barão do Rio Branco com a Av. Marechal Deodoro para outro local. Em 4 de abril de 1904, um prédio de doação feita á Santa Casa foi negociado com o Estado cuja participação na negociação entre Estado e a Santa Casa foi José Rangel que de imediato transferiu a Escola Normal para o edifício aquele denominado “Palacete Santa Mafalda”, tendo-se feito nele as necessárias obras de adaptação.


 Otimista o educador dizia: uma verdadeira revolução se operará nos costumes, sob o ponto de vista moral, atingindo os benefícios dela a própria vida econômica, pois “teremos em vez de um exército de analfabetos a povoarem as oficinas, um pessoal operário suficientemente preparado para exercitar os seus misteres com inteligência e aptidão.

Sobre a Escola Normal nos diz o memorialista : "Daquela, em cujos âmbitos, se passaram os dias risonhos de minha mocidade, me recordo com particular carinho - do delicioso trato com meus companheiros de magistério, da estima com que era pelas alunas premiado o nosso esforço, do conceito e prestígio que desfrutava o estabelecimento, da satisfação que experimentávamos com o triunfo das nossas normalistas na sua carreira profissional e das alegrias que fruímos em comum nas festividades escolares sem me esquecer igualmente da decepção de que se possuiu toda a cidade, com o desaparecimento daquela antiga escola de mestres, em plena prosperidade, a qual sempre com dignidade se mantivera na altura da elevada missão social de que se viu investida, durante o largo período da sua útil e gloriosa existência"


Temos condição de conseguir muitos outros títulos sobre o assunto. Diga-nos quais você precisa e lhe daremos a resposta. Temos um vasto acervo sobre essa bibliografia temática. Envio em até 24 horas após a confirmação de pagamento com confirmação via e-mail e número de postagem para acompanhamento da entrega. Toda postagem pode ser rastreada pelo site dos Correios. Todos os pedidos são enviados com seguro. CASO HAJA INTERESSE NESSE LIVRO OU EM NOSSO SERVIÇO, ENVIE UM E-MAIL PARA philolibrorum@yahoo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário