Pesquise neste Blog

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

João Mendes de Almeida Diccionario Geographico









Diccionario geographico da provincia de S. Paulo.

precedido de um estudo sobre a estructura da lingua Tupi.

Trazendo, em appendice, uma memoria sobre o nome America.

João Mendes de Almeida

Editora Typographia a Vapor Espindola & Comp. - Rua Direita, 10-A

1902

276 pg


livro em ótimo estado de conservação, capa dura, escasso, uma preciosidade bibliografica, não perca, saiba mais ....



3. O Dr. João Mendes de Almeida, em seu Diccionario Geographico de S. Paulo, na pagina 190, traz uma curiosa explicação: "Nao se trata de Paranahyba, nem com este nome ha affluente algum do rio Tieté, como pretendeu Azevedo Marques, em seus Apontamentos Historicos, Geographicos, Estatisticos e Noticiosos da Provincia de S. Paulo: a força de querer explicar o nome Parnahyba.

A principio suppuz que fosse corruptela de Piaã-ñ ai-bo, lugar do porto do caminho", de piaã, caminho, ñai, porto, bo (breve) para exprimir lugar. Com effeito, reza um documento antigo, em que Melchior da Costa pediu uma sesmaria de terras para suas filhas, quando já casado com Suzana Dias, devia existir um porto: e alli era estabelecida com fazenda a dita Suzana Dias, ao passo que o pedido de Melchior da costa, em 1610, foi para lugar da actual villa. Sem duvida era ahi passagem do rio Tieté de uma para outra margem.

Mas o nome de Paranahyba tem outra explicação, que é verdadelra. "É corruptela de Pan-n-eii-bo, "lugar de muitas ilhas". De pan - ilha, n por ser nasal a palavra anterior, eii, "muitas", bo (breve) para exprimir lugar. Allusivo a uma cachoeira, extensa e estrondosa, acima da villa, no rio Tieté, semeada de ilhotas cobertas de mattas. É mesmo visinha da villa essa cachoelra. Entre as ilhotas ha varios canaes e alguns de difficil pratica, como que para moderar a impetuosidade das aguas, a natureza collocou mais abaixo da cachoelra uma pedra chata, ou ilha granitica e de curta extenção e largura conhecida por Itapeva ou Ita-pebae.

De encontro a essa pedra ou ilha granitica, as aguas, que descem em catadupas, quebram-se espumantes. Tal é a origem do nome corrupto de "Paranahyba". A cachoeira é conhecida por cachoeira do inferno,





"O nome YTAPYRA, desarticulado ou desunido, mostra as duas palavras de que foi composto, isto, é: yta’-pir-a , contração de yta-api-ra. O y em pira, tendo pronúncia gutural, não é a mesma que pira, contração de apir-a. Os indígenas denominam yta’-pir-a a qualquer morro em forma de penha. O morro no qual se assenta a cidade tem aquela forma, com declividade íngreme para a margem do ribeirão. Do yta’ ou ita “pedra”, ”morro”, apir, “ponta” com o acréscimo do "a" breve por acabar em consoante, segundo a lição dos gramáticos, quer dizer: ponta de pedra ou pedra pontiaguda, dando a idéia de penha, penhasco. Eis o significado exato do nome Yta’-pir-a. Quanto ao ribeirão que tem trazido o nome injustamente de...."



------


João Mendes de Almeida (Caxias, 22 de maio de 1831 — São Paulo, 16 de outubro de 1898) foi um jurista, político, jornalista e líder abolicionista brasileiro.
Biografia

Figura ilustre no meio jurídico, iniciou seus estudos na Faculdade de Direito de Olinda e logo em seguida transferiu-se para São Paulo, onde concluiu o curso em 1853.

Assim que se formou, assumiu o cargo de juiz em Jundiaí (SP) e depois na capital paulista. Nesses cargos, permaneceu por cinco anos, até que resolveu abandonar a magistratura para ingressar no universo político, sendo deputado geral pelo estado do Maranhão em 2 legislaturas e por São Paulo em 3 legislaturas. Sua versatilidade também ficou marcada por sua atuação na imprensa. Fundou e dirigiu os jornais "A Lei", "A Opinião Conservadora", "A Ordem", "A Autoridade", "A Sentinela" e "A Sentinela Monarquista", todos em São Paulo. Mas sua atuação mais marcante, conforme relatam os registros históricos, foi à frente do movimento abolicionista. Líder do Partido Conservador, de 1859 a 1878, foi o principal redator da Lei do Ventre Livre, a qual defendeu através da imprensa.Uma de suas características mais marcantes era a generosidade. Quando alguém precisava de seus serviços e não podia pagar, ele atendia gratuitamente.

Para homenageá-lo, a cidade de São Paulo denominou a praça onde tinha sua residência de "Praça João Mendes", na qual foi edificado o fórum que leva o nome de seu ilustre filho João Mendes de Almeida Júnior.

Genealogia

João Mendes de Almeida foi casado com Ana Rita Fortes Leite Lobo. Era irmão de Cândido Mendes de Almeida, ambos filhos do capitão-de-milícias Fernando Mendes de Almeida, português, que se radicou em 1816, na cidade de Caxias, Maranhão, onde se casou com Esméria Alves de Sousa. Era neto dos portugueses João Mendes de Almeida e Maria Escolástica da Fonseca Ramos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário