Pesquise neste Blog

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Tropas e boiadas Hugo Carvalho Ramos goias literatura regionalista brasil regionalismo goiania sertão costume hsitoria tradição tropeirismo etc


Tropas e boiadas

Hugo Carvalho Ramos

Editora Monteiro Lobato

1922


 O livro Tropas e Boiadas de Hugo de Carvalho Ramos é classificado pelas normas da literatura como um  livro de contos. Acho pouco.

Hugo de Carvalho é identificado por alguns críticos literários, como autor de um livro só, contudo, diante desse belíssimo Tropas e Boiadas, não precisava mais.

Vale a pena ler de forma despretensiosa, sem pressa e se deixando envolver pela melodia de antigas expressões e pela atmosfera daquele mundo ruralizado. É leitura obrigatória a quem se interessa em compreender o Brasil em seus aspectos regionais e também pelo tropeirismo.


Segunda edição ao encargo de Monteiro Lobato & Companhia, Editores, São Paulo, 1922. edição, com prefácio de Gomes Leite e dados biográficos do autor feitos pelo seu irmão Vítor de Carvalho Ramos:


“O caminho das Tropas”

”Mágoa de Vaqueiro”

“A Bruxa dos Marinhos”

“Nostalgias” – Rio, 1915;

“À Beira do Pouso”

“O Poldro Picaço”

“Ninho de Periquitos”

“O Saci”

“Gente da Gleba”,

“Alma das Aves”;

“Caçando Perdizes”

“Peru de Roda”




Temos condição de conseguir muitos outros títulos sobre o assunto. Diga-nos quais você precisa e lhe daremos a resposta. Temos um vasto acervo sobre essa bibliografia temática. Envio em até 24 horas após a confirmação de pagamento com confirmação via e-mail e número de postagem para acompanhamento da entrega. Toda postagem pode ser rastreada pelo site dos Correios. Todos os pedidos são enviados com seguro. CASO HAJA INTERESSE NESSE LIVRO OU EM NOSSO SERVIÇO, ENVIE UM E-MAIL PARA philolibrorum@yahoo.com.br

 ---------------------


Bibliografia sobre tropeirismo, tropas, tropeiros, carro de boi, ciclo muar, etc saiba mais perguntando-nos.



 ABREU, Capistrano de. Caminhos antigos e povoamento do Brasil. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1975.

ALBUQUERQUE, Mário Marcondes de. Pelos caminhos do sul: história e sociologia do desenvolvimento sulino. Curitiba: Imprensa Oficial, 1978.

ALMEIDA, Raul D’. A estrada da mata: origem de Rio Negro – Paraná. Curitiba: A M. Cavalcante, 1975.


BIGG-WITHER, Thomas Plantegenet. Novos caminhos no Brasil meridional: a província do Paraná, três anos em suas florestas e campos (1872/75). Rio de Janeiro: J. Olympio, 1974.




DORNAS FILHO, João. Aspectos da economia colonial. Rio de Janeiro: Laemmert, 1958.

EHLKE, Cyro. A conquista do planalto catarinense bandeirantes e tropeiros do sertão de Curitiba. Rio de Janeiro: Laudes, 1973.


FILIZOLA, Ana Eliza. O tropeiro. Curitiba: SEEC, 1988.

FONSECA, Pedro Ari Veríssimo da. Tropeiros de mula. Porto Alegre: Diário da Manhã, 1990.

FRANCO, Arthur Martins. Diogo Pinto e a conquista de Guarapuava. Curitiba: J. Haupt, 1943.


GOULART, José Alípio. O cavalo na formação do Brasil. Rio de Janeiro: Conquista, 1961.

______. Tropas e tropeiros na formação do Brasil. Rio de janeiro: Conquista, 1961.


LAVALLE, Aída Mansani. Análise quantitativa das tropas passadas no registro de Rio Negro (1830-1854). Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 1974. Dissertação de Mestrado.



 PADIS, Pedro Calil. Formação de uma economia periférica: o caso do Paraná. São Paulo: Hucitec, 1981.

PARANÁ, Secretaria de Estado da Cultura. Coordenadoria do Patrimônio Cultural. Tropeirismo um modo de vida. Curitiba: SEEC, 1989.

TOURINHO, Luiz Carlos Pereira. Toiro passante. Curitiba: Lítero-Técnica, 1985.

TRINDADE, Jaelson Bitran. Tropeiros. São Paulo: Editoração, Publicações e Comunicações Ltda., 1992.

Nenhum comentário:

Postar um comentário