Pesquise neste Blog

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Adélia Prado Filandras Record 2001

Adélia Prado

Filandras

Record

2001

Livro em bom estado de conservação, brochura com capa original.

FILANDRAS marca a estréia da escritora mineira Adélia Prado na Editora Record, que vai reeditar sua obra, com um novo projeto gráfico. Coletânea de contos que tratam de amores, desejos, frustrações e sonhos. FILANDRAS, seu primeiro inédito desde 1996, revela uma contista sedutora e sutil por trás da aclamada poeta Adélia.

Segundo dicionários Filandras seriam, entre outras definições, "fios delgados e longos", "flocos que esvoaçam pelo ar e cobrem os vegetais". Os contos de Adélia neste livro são realmente filandras - delicados fios esvoaçantes. Quando os alcançamos se desfazem como sonhos. As 43 histórias do livro podem, certamente, ser lidas separadamente. Mas ganham outra dimensão quando se começa a unir os fios, os pequenos detalhes que revelados em cada uma delas permitem construir a vida de seus personagens.

As personagens de FILANDRAS - mulheres simples do interior e seu cotidiano - revelam aos poucos uma personalidade forte, mesmo quando submissas. Todos os contos têm como personagem principal mulheres. E que mulheres: a avoada Olinda; a racional Célia; a sedutora Calixtinha; a insegura Ester. Carolas, em crise, amélias, devotas e apaixonadas.

Em uma segunda análise, as mulheres de Adélia são todas as mulheres do mundo. Repletas de nuances e fases (como a lua). Em Análise, por exemplo, a protagonista dispara: "Natureza de mulher é de obedecer, de admirar, de servir, natureza de formiga, de abelha operária e gata no borralho, senão, meu deus, não sobra espaço para ela virar Cinderela".

Assim como as mulheres, o sentido de religiosidade está presente em grande parte dos contos do livro, retratando parte da realidade da vida no interior do Brasil. Muitas vezes, Adélia opta por expor conflitos entre o sagrado e o profano, como em Luz em resistência. Uma mulher revela seus pensamentos e desejos com um homem proibido. Ao mesmo tempo que a autora desvela o desejo, também cria barreiras ao homem, ora como um amigo, ora como um amante.

FILANDRAS trata de amor, de desejo, de coisas e gentes a conquistar e as que ficaram pelo caminho - perdidas, largadas, esquecidas. Uma sinuosa viagem pelos caminhos do coração. Numa narrativa extremamente pessoal, Adélia volta a temas recorrentes em sua literatura: a vida provinciana, a religiosidade, as cores do campo, num espelho de sua própria experiência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário